DIREITOS  DOS  ANIMAIS

Viver e reproduzir-se pacificamente, cada um em seu habitat - terrestre, aéreo ou aquático - segundo os hábitos de sua espécie.

Jamais ser incomodado em seu sono, descanso, solidão, silêncio, acasalamento ou diversão, por qualquer intromissão dos homens.

Ter preservadas sempre as suas fontes naturais de sobrevivência - água, plantas e outros alimentos - além de ninhos, tocas, túneis, sombras, folhas, cascas e outros esconderijos, naturais ou construídos.

Não ser perseguido, enjaulado, amarrado ou transportado, por interesses alheios, para lugares estranhos aos seus hábitos.

Vivendo em comum com os homens, ser respeitado em seus hábitos, limites e inclinações naturais - e, quando submetido a trabalhos, dispor de alimentação e descanso adequados.

Ser salvo, medicado, alimentado e readaptado às suas rotinas, sempre que necessário, por espécies mais capazes, como o homem.

Não ser comprado, vendido, exibido, amestrado contra suas tendências ou humilhado para simples diversão ou ganhos comerciais do homem.

Não ser submetido a sofrimentos físicos ou comportamentos antinaturais - como testes e experiências científicas - ainda que em nome do progresso da sociedade dos homens.

Não ter seu corpo ou partes, como pele, chifres, plumas, dentes ou ossos, utilizados para alegrar ou enfeitar a vida dos homens.

Ter de volta, sempre que possível, seu habitat perdido - as florestas, rios limpos, pradarias e outros sítios que o homem invadiu ou destruiu com suas queimadas, caçadas, bombas, lixo ou veneno, por descuido ou prepotência.