A B C D E F H I J L M N O P Q R S T U V

DICIONÁRIO   FINANCEIRO

C-Bond Um dos Títulos de dívida externa do governo brasileiro com vencimento em 2014, que são usualmente chamados de "Bradies".
Cadastro de clientes Conjunto de dados e informações gerais sobre a qualificação dos clientes das sociedades corretoras.
Caderneta de Poupança Aplicação tradicional que permite ao investidor aplicar pequenas somas com liquidez a cada 30 dias. É o único investimento garantido pelo Governo Federal, sendo também isento de imposto de renda.
Caixa de registro e liquidação Empresa responsável pela liquidação e compensação realizadas em bolsa.
Calispa Empresa controlada pela Bolsa de Valores de São Paulo. Sua função é compensar e liquidar financeiramente as operações realizadas na BOVESPA.
Call Veja Opção de Compra de Ações.
Câmara de Compensação Local onde os bancos comerciais se juntam e fecham suas operações diárias, compensando os volumes que entram e saem. Para exemplificar, imagine que o banco A recebe vários cheques do banco B, e vice-versa. Ao fim do dia, esses valores são somados e a diferença é paga ao banco que recebeu o maior montante de dinheiro.
Câmbio Flutuante, Operação de Realizar a conversão de Reais por dólar no mercado flutuante. Vide dólar flutuante.
Câmbio Negro ou Câmbio paralelo, Operação de Realizar a conversão de Reais por dólar no mercado paralelo. Vide dólar paralelo.
Câmbio, Operação de Uma operação de câmbio envolve a negociação de moeda estrangeira através da troca da moeda de um país pela de outro. Uma pessoa que pretende viajar para o exterior precisa fazer uma operação de câmbio, trocando seus reais pela moeda do país a ser visitado.
Candlestick Candlesticks(gráfico de velas japonesas)é uma variante do gráfico de barras, usado na Análise Técnica , onde o espaço entre a abertura e o fechamento é representado por um paralelograma ou corpo, um pouco mais largo que a barra simples e que é branco ou transparente em caso de alta (fechamento acima da abertura) ou escuro em caso de baixa (fechamento mais baixo que a abertura), enquanto continuam marcadas a máxima e a mínima por linhas mais finas ou sombras. A análise concentra-se em formações de curto prazo de 2 ou 3 pregões que sinalizam o predomínio temporário da oferta ou da demanda.
Capital È a soma de todos os recursos, bens e valores, mobilizados para a constituição de uma empresa.
Capital aberto (companhia de) Empresa que tem suas ações registradas na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) distribuídas entre um determinado número de acionistas, que podem ser negociadas em bolsas de valores ou no mercado de balcão.
Capital autorizado Limite estatutário, de competência de assembléia geral ou do conselho de administração, para aumentar o capital social de uma empresa.
Capital de giro Capital utilizado pela empresa para financiar sua produção, suas vendas, seu estoque. Ex.: dinheiro utilizado para pagar fornecedores de matéria prima, pagar distribuidores, etc.
Capital de giro líquido O capital de giro de uma empresa é aquele dinheiro disponível a curto prazo, representado pelo ativo circulante. Já que a idéia é o capital de giro líquido, este será correspondente ao ativo circulante menos o passivo circulante de uma empresa. Ou seja: o capital de giro líquido é o capital de curto prazo que a empresa efetivamente tem disponível, sem o compromisso com os passivos de curto prazo.
Capital de risco Capital investido em atividades ou investimentos, nos quais existe possibilidade de perdas e ao mesmo tempo possibilidade de ganhos superiores aos habituais.
Capital de Terceiros Valor dos recursos de terceiros utilizados para a manutenção da atividade de uma empresa.
Capital Especulativo Diz-se do capital que só procura obter vantagens de uma determinada situação, não trazendo benefícios para a economia ou setor no qual se acha investido.
Capital Externo Capital de origem estrangeira.
Capital Fechado Característica do tipo de sociedade anônima na qual o capital, representado por ações, é dividido entre poucos acionistas e essas ações não são negociadas em Bolsas de Valores.
Capital Financeiro É o capital representado por títulos, obrigações, certificados e outros papéis negociáveis e que podem ser convertidos em dinheiro com rapidez.
Capital Garantido Modalidade de fundo de renda variável que protege o investimento inicial no caso de uma variação negativa do Índice Ibovespa. A rentabilidade do fundo de capital garantido é positiva, se a rentabilidade do Índice Ibovespa também for positiva. Mas se o Índice Ibovespa cair, o investidor tem assegurado que receberá no vencimento da aplicação a mesma quantia inicialmente investida.
Capital Social (Equity Capital) Valor dos recursos financeiros colocados na empresa, pelos seus sócios ou acionistas.
Capital social subscrito a integralizar Parcela de subscrição que o acionista deverá pagar, de acordo com determinação do órgão que autorizou o aumento de capital de uma sociedade.
Capital Subscrito Valor efetivamente depositado na empresa pelos acionistas.
Capitalização Ampliação do patrimônio, via reinversão de resultados ou captação de recursos, pela emissão de ações.
Captação Atividade das instituições financeiras para obter recursos para aplicação a curto, médio e/ou longo prazos. Ex.: quando um investidor aplica determinada quantia num fundo de investimento, do ponto de vista da instituição na qual a aplicaçào foi feita, esta quantia é considerada como "captada".
Carência Período de tempo em que o investidor está impedido ou sofrerá alguma penalização, se resgatar os seus investimentos em um fundo de investimento.
Carência Período de tempo adotado nos seguros de Vida e Saúde em substituição ao exame médico. Período em que a responsabilidade do segurador, em relação ao contrato de seguro, fica suspensa, a não ser por por morte acidental. Falecendo o segurado de morte natural durante o referido período, sem que seja devida indenização, total ou parcial, os prêmios pagos são restituídos ao beneficiário indicado.
Carregamento É o percentual incidente sobre as contribuições pagas, para atender às despesas administrativas, de corretagem e colocação do plano de previdência. Acréscimo; Margem adicionada.
Cartão Co-Branded É uma variação do cartão de afinidade. O cartão carrega o logotipo da empresa associada e a bandeira, trazendo vantagens específicas para seus associados como, por exemplo: milhagem áreas e descontos progressivos na anuidade.
Cartão de Débito É um cartão em que você é debitado em conta corrente no ato da compra.
Carteira Pode ser comparada a uma cesta. É composta por títulos, ações e contratos. Ex.: carteira do investidor: é o conjunto de todos os tipos de investimentos que ele possui. Carteira do fundo de investimento: o conjunto de todos os títulos, papéis e obrigações do fundo. O administrador do fundo administra essa carteira, através da compra e venda.
Carteira de ações Conjunto de ações de diferentes empresas, de propriedade de pessoas físicas ou jurídicas.
Carteira de títulos Conjunto de títulos de rendas fixa e variável, de propriedade de pessoas físicas ou jurídicas.
Cartel Grupo de empresas que fazem um acordo para agir coordenadamente, visando seus interesses comuns. O tipo de cartel mais comum é o de empresas que produzem artigos semelhantes e/ou operam em mercados semelhantes.
Caução Depósito de títulos ou valores efetuados para o credor, visando garantir o cumprimento de obrigação assumida.
Cautela Certificado que materializa a existência de determinado número de ações; também chamada título múltiplo.
CDB Sigla de Certificado de Depósito Bancário Modalidade de aplicação que pode render tanto uma taxa de juros fixa quanto variável, dependendo da forma como foi negociado.
CDC Sigla de Crédito Direto ao Consumidor. Financiamento pessoal concedido para aquisição de bens e serviços. O crédito é geralmente utilizado para a aquisição de eletrodomésticos e veículos.
CDI Sigla de Certificado de Depósito Interbancário. Assim como o CDB, esta é uma modalidade de aplicação que pode render tanto uma taxa de juros fixa quanto variável. No entanto este certificado é negociado exclusivamente entre bancos. Essas transações são fechadas por meio eletrônico e registradas nos computadores das instituições envolvidas e nos terminais do CETIP. A maioria das operações são negociadas por um dia. A taxa média diária do CDI de um dia é utilizada como referencial para o custo do dinheiro (juros). Por este motivo, esta taxa também é utilizada como referencial para avaliar a rentabilidade das aplicações em fundos de investimento.
Certificado Documento que comprova a existência e a posse de determinada quantidade de ações.
Certificado de depósito Título representativo das ações depositadas em uma instituição financeira. Algumas empresas do Mercosul são negociadas nas bolsas de valores brasileiras por meio desse mecanismo. 
Certificado de Desdobro Comprovante do desdobramento de um certificado de ações em vários outros.
Certificado do Participante É o documento particular do participante que elenca as características principais do plano de previdência contratado, em especial as cláusulas e critérios relativos aos benefícios.
Cessão de Cotas Ceder a titularidade das cotas de um fundo para outra pessoa. 
CETIP Sigla de Central de Custódia e Liquidação de Títulos. Local onde se custodiam, registram e liquidam financeiramente as operações feitas com todos os papéis privados e os títulos estaduais e municipais que ficaram de fora das regras de rolagem. Na CETIP ficam garantidas as operações, pois quem compra tem certeza da validade do título e quem vende tem certeza do recebimento do valor.
Chamada de bônus Resgate de bônus pelo emitente, mediante o pagamento antes do vencimento.
Chamada de capital Subscrição de ações novas, com ou sem ágio, para aumentar o capital de uma empresa.
Circuit Breaker Normativo adotado pelas Bolsas de Valores e pelo qual o pregão é imediatamente interrompido toda vez que o índice tenha queda de dez pontos percentuais(10%).
Cisão É o processo de transferência, por uma empresa, de parcelas de seu patrimônio a uma ou mais sociedades, já existentes ou constituídas para esse fim, extinguindo-se a empresa cindida se houver versão de todo o seu patrimônio.
Clube de investimentos Grupo de pessoa físicas (máximo de cento e cinqüenta), que aplica recursos de uma carteira diversificada de ações, administrada por uma instituição financeira autorizada.
Cobertura Garantia de indenização ao Segurado ou aos seus beneficiários dos prejuízos decorrentes da ocorrência de um dos riscos previstos no contrato do seguro.
Cofins Sigla que designa a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social. Incide sobre o faturamento bruto das empresas.
Colocação direta Aumento de capital realizado pela subscrição de ações, pelos atuais acionistas, diretamente em uma empresa.
Colocação indireta Aumento de capital realizado mediante subscrição, no qual a totalidade das ações é adquirida por uma instituição financeira ou por um grupo reunido em consórcio, para posterior colocação no mercado secundário.
Combinação de opções Compra ou venda de duas ou mais séries de opções sobre a mesma ação-objeto, porém com preços de exercício e/ou datas de vencimento diferentes.
Comissão (Cartão de Crédito) É a comissão paga pelo estabelecimento à instituição que o afiliou pela utilização do cartão por parte do usuário. Esta comissão varia de acordo com a negociação entre a instituição e o estabelecimento.
Comissão de Valores Mobiliários - CVM A CVM é uma autarquia federal que regula, disciplina e fiscaliza as bolsas de valores e as companhias abertas, os fundos de ações e os mercados derivativos que tenham por referência valores mobiliários submetidos à sua (dela CVM) competência.
Comissão Nacional de Bolsas de Valores - CNBV Associação civil sem fins lucrativos, que tem a função de representar os interesses das bolsas de valores do País perante as autoridades monetárias e reguladoras do mercado.
Comitente Pessoa que encarrega uma outra de comprar, vender ou praticar qualquer ato, sob suas ordens e por sua conta , mediante certa remuneração a que se dá o nome de comissão.
Commercial Paper Nota promissória emitida por uma empresa no mercado externo para captação de recursos à curto prazo, gerando portanto uma dívida de curto prazo para a empresa. Uma modalidade de captação de recursos no exterior para atender necessidades financeiras de uma empresa (expansão, investimentos, etc).
Commodity Palavra geralmente utilizada no plural - commodities. Palavra inglesa que significa mercadoria, mas no mercado financeiro é utilizada para indicar um tipo de produto, geralmente agrícola ou mineral, de grande importância econômica internacional porque é amplamente negociado entre importadores e exportadores. Existem bolsas de valores específicas para negociar commodities. Alguns exemplos de commodities seriam: café, algodão, soja, cobre, petróleo
Commonwealth Grupo de países formado pelas ex-colônias britânicas e a Grã-Bretanha
Companhia Aberta Toda empresa cuja ação é comercializada em bolsa de valores. Também chamadas empresas de capital aberto.
Compra em margem Aquisição de ações a vista, com recursos obtidos pelo investidor por meio de um financiamento com uma sociedade corretora que opere em Bolsa. É uma modalidade de operação da Conta Margem.
Compulsório Parte dos recursos aplicados em depósitos à vista e a prazo que ficam retidos no Banco Central, por determinação do mesmo. "Recolher o compulsório" significa a obrigação que as instituições financeiras têm de depositar no BACEN o percentual por este determinado, sobre o montante de seus depósitos à vista e à prazo. Quando os responsáveis pela política econômica decidem "enxugar o mercado", ou seja, retirar dinheiro de circulação, uma forma bastante comum de fazer isso é aumentar o percentual do recolhimento compulsório.
Compulsório sobre Fundos de Investimento Por determinação do Banco Central, os fundos de investimento também recolhem compulsório sobre os valores aplicados no fundo. Atualmente, os fundos de curto prazo recolhem 50% de compulsório, os fundos de trinta dias recolhem 5% e os fundos de 60 dias ou mais, não recolhem compulsório. Essas diferenças nos percentuais explicam, em parte, a diferença de rentabilidade entre essas modalidades de fundos. É importante ressaltar que esses recolhimentos não afetam o investidor do fundo, pois a quantia por ele aplicada é transformada em cotas do fundo, podendo ser resgatada a qualquer momento, respeitadas as carências e independente dos valores recolhidos ao Banco Central.
Concordata Benefício concedido por lei à empresa insolvente, que não tem condições momentâneas de saldar seus compromissos, para evitar ou suspender a declaração de sua falência, ficando obrigada a liquidar suas dívidas dentro de um prazo estabelecido judicialmente.
Condições Gerais de um Seguro Conjunto de cláusulas contratuais que obrigam e dão direitos tanto ao Segurado como ao Segurador. Dizem respeito a todos os contratos de um mesmo ramo de seguro.
Condições Particulares de um Seguro Conjunto de cláusulas contratuais que obrigam e dão direitos tanto ao Segurado como ao Segurador. Dizem respeito às diferentes modalidades de cobertura que possam existir dentro de um mesmo ramo de seguro.
Condomínio O conceito de condomínio é análogo ao de condomínio de um prédio residencial. Todo fundo de investimento é um condomínio, aberto ou fechado. Os fundos de investimento disponíveis para os investidores aplicarem são condomínios abertos, no sentido de que qualquer investidor que possua a quantia para a aplicação mínima definida e que deseje aplicar, pode ser um cotista do fundo, tornando-se então um "condômino" com direitos e obrigações estabelecidos pelo regulamento específico daquele fundo.
Confirmação Aviso que o corretor dá ao cliente da efetivação de uma negociação com ações.
Conselho Monetário Nacional Órgão federal responsável pela formulação da política da moeda e do crédito, e pela orientação, regulamentação e controle de todas as atividades financeiras desenvolvidas no País.
Conservador Característica do investidor ou do fundo de investimento que procura aplicações com menor risco e portanto com retornos mais estáveis ao longo do tempo.
Conta de Capital Autônomo Esta conta do Balanço de Pagamentos contabiliza todo o capital que entra e sai do país pelas forças do mercado, ou seja, pela vontade dos indivíduos e empresas que estão no mercado.
Conta de Capital Compensatório Quando um país necessita de determinado montante para zerar o Balanço de Pagamentos, pode conseguir recursos que entram no país exatamente com este propósito. Na maioria das vezes, os países recorrem a empréstimos regulatórios do FMI.
Conta margem Forma de negociação de ações que possibilita ao investidor obter, em uma sociedade corretora, financiamento para compra dos títulos e/ou empréstimo dos papéis para venda. Essas operações são feitas no mercado a vista de bolsa. O custo e liquidação do financiamento, bem como a remuneração do empréstimo dos títulos e sua devolução, são pactuados diretamente entre o investidor e a corretora.
Contabilidade fiscal Contabilidade de uma empresa realizada sob as regras da Receita Federal (IRS).
Contabilidade societária Contabilidade realizada pela empresa sob as regras da Comissão de Padrões de Contabilidade Financeira (FASB).
Contas Públicas É a contabilidade do Governo. Pode se referir ao Governo Federal, Estadual ou Municipal, assim como a todos eles juntos. A grosso modo, é o quanto o Governo gastou e o quanto ele arrecadou.
Contrato a termo Estabelece que um ativo será vendido no futuro por um preço determinado no presente.
Contrato de Câmbio Contrato para troca de moedas. O contrato de câmbio entre dólar e real fixa a quantidade de reais que devem ser trocados por uma quantidade de doláres. Empresas exportadoras e importadoras utilizam frequentemente contratos de câmbio, que têm suas regras estabelecidas pelo Banco Central.
Contrato de Opção É o contrato pelo qual se firma o direito de uma parte comprar ou vender a outra parte, até(ou em) determinada data, uma quantidade de um ativo-objeto a um preço pré-estabelecido.
Contrato de venda condicional Instrumento que permite que uma parte mantenha a posse de um ativo até que a outra complete o pagamento.
Contrato Futuro São contratos padronizados pela BM&F e através dos quais são negociados diferentes ativos financeiros.
Contribuição É o valor de aporte efetuado ao plano de previdência.
Controle Acionário Posse, por um acionista ou grupo de acionistas, da maior parcela de ações, com direito a voto, de uma empresa, garantindo o poder de decisão sobre ela.
Conversão Mudança das características de um título. No caso de ações, pode ser sua transformação, quanto à forma (de nominativa para escritural) ou à espécie (de ordinárias em preferenciais ou vice-versa)dependendo de deliberação de assembléia geral extraordinária e do disposto no estatuto social de uma sociedade anônima.
Copom Sigla de Comitê de Política Monetária. Órgão governamental encarregado de formular a política monetária do País.
Correlação Ferramenta que mede a dependência que existe entre duas variáveis.
Corretagem Taxa de remuneração de um intermediário financeiro na compra ou venda de títulos.
Corretor Intermediário na compra e venda de títulos.
Corretora Veja Sociedade Corretora
Corretores de Seguros Profissionais legalmente autorizados a intermediar o contrato de seguro entre a Seguradora e o Segurado. Orientam e esclarecem o Segurado sobre as coberturas que se encaixam ao seu perfil.
Cosseguro Operação em que mais de um Segurador participa diretamente, em uma mesma apólice, de um mesmo risco. Cada Segurador é responsável por uma quota do seguro. O prêmio pago é dividido na proporção da quota de cada Segurador.
Cota Fração de um fundo. Todo valor aplicado em um fundo é transformado em uma quantidade de cotas que irão evoluir de acordo com o desempenho da carteira do fundo. Todo investidor de um fundo é proprietário de cotas desse fundo. Multiplicando a quantidade de cotas pelo valor atualizado da cota, o investidor obtém o valor atualizado do seu investimento inicial.
Cotação É o valor de qualquer ativo negociado no mercado.
Cotação de abertura Cotação de um título na primeira operação realizada em um dia de negociação.
Cotação de fechamento Última cotação de um título em uma dia de negociação.
Cotação máxima A maior cotação atingida por um título no decorrer de um dia de negociação.
Cotação média Cotação média de um título, constatada no decorrer de um dia de negociação.
Cotação mínima A menor cotação atingida por um título no decorrer de um dia de negociação.
CPI dos EUA Índice de Preços ao Consumidor americano. Mede a variação dos preços em estabelecimentos do varejo, que vendem diretamente aos consumidores.
CPMF Sigla de Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira. Contribuição federal que é cobrada sobre todo dinheiro que sai de uma conta corrente, não importando o motivo da retirada, seja para pagar uma conta, seja para aplicar em um fundo de investimento. O valor da CPMF é de 0,38% sobre a movimentação. Ex.: ao se sacar um cheque no valor de R$ 1000,00, paga-se R$ 3,80 de CPMF, debitado automaticamente na conta corrente.
Crack Ocorre quando as cotações das ações declinam velozmente para níveis extremamente baixos.
Credit Score Modelo estatitísco utilizado para pontuar e classificar os proponentes do cartão.
Crédito ao Consumidor Quantidade total de dinheiro que está disponível para empréstimos ao consumidor.
Crédito mercantil Quantidade total de dinheiro que está disponível para empréstimos a empresas.
Crédito Rotativo Tem o mesmo significado que revolving. Isto é, você pode refinanciar seu extrato pagando um valor minímo. As insituições cobram uma taxa de juros para isto.
Cupom Valor pago periodicamente atrelado a algum título.
Cupom Cambial Diferença entre a taxa de juros interna e a desvalorização da taxa de câmbio do país.
Curto prazo Período onde determinados fatores de produção são fixos. Por exemplo: no curto prazo, uma empresa pode alterar a mão de obra empregada, mas não tem como alterar o tamanho da planta de sua fábrica. A possibilidade de alterar todos os fatores só existe para o longo prazo. Na contabilidade, curto prazo é o tempo que contempla um período de produção.
Custo de oportunidade Quando um investidor tem diversas opções de investimento, compara os ganhos da alternativa escolhida com o custo de oportunidade, que corresponde ao ganho que ele iria obter se optasse pela aplicação mais lucrativa.
Custo fixo Custos que a empresa tem de incorrer pelo simples fato de existir, mesmo sem produzir nada, como aluguel das instalações, eletricidade e outros. Por serem fixos, a empresa não pode alterá-los no curto prazo, como, por exemplo, aumentar ou diminuir o tamanho da planta da fábrica.
Custo irrecuperável Quando uma empresa inicia sua produção ou um novo projeto e depois desiste, já realizou determinados custos que não são recuperáveis, ou seja, dos quais ela não poderá se desfazer. Por exemplo, uma empresa que contrate trabalhadores para um novo projeto terá que remunerá-los mesmo que o projeto não vá adiante.
Custo variável São os custos que variam de acordo com a quantidade produzida. Quando a empresa decide aumentar sua produção, determinados custos precisam subir, como o número de trabalhadores ou a quantidade de encomendas aos fornecedores. Tais custos são variáveis e têm como característica a possibilidade de serem alterados, aumentados ou diminuídos no curto prazo.
Custódia Guarda de títulos e valores. É o local onde os títulos e as ações são registrados em nome de quem os comprou, garantindo a sua propriedade.
Custódia de títulos Serviço de guarda de títulos e de exercício de direitos, prestado aos investidores.
Custódia fungível Serviço de custódia no qual os valores mobiliários retirados podem não ser os mesmos depositados, embora sejam das mesmas espécie, qualidade e quantidade. Deixa de existir a necessidade de se retirar exatamente o mesmo certificado depositado.
Custódia infungível Serviço de custódia no qual os valores mobiliários depositados são mantidos discriminadamente pelo depositante.
Custos de agency Custos assumidos pelos acionistas da empresa para resolver conflitos entre os administradores, credores ou acionistas da empresa. Incluem os custos de observar se tais administradores estão maximizando os ganhos dos acionistas.
CVM A CVM é uma autarquia federal que regula, disciplina e fiscaliza as bolsas de valores e as companhias abertas, os fundos de ações e os mercados derivativos que tenham por referência valores mobiliários submetidos à sua (dela CVM) competência.