A B C D E F H I J L M N O P Q R S T U V

DICIONÁRIO   FINANCEIRO

Rating É a classificação de risco de um banco, de um país ou de um ativo feita por uma empresa especializada
Razão de caixa Razão de caixa é o resultado do fluxo de caixa de uma empresa. É o saldo de caixa.
RDB Sigla para Recibo de Depósito Bancário.
Tipo de aplicação em renda fixa, cujo rendimento é uma taxa de juros previamente combinada e negociável diretamente com o banco. O RDB não permite retirada antecipada dos recursos aplicados, nem negociação em mercado secundário.
Receita Bruta Total de reais recebido pela venda dos produtos ou serviços da empresa, sem qualquer dedução.
Receita Líquida É a receita bruta menos as devoluções de produtos e os impostos pagos pela empresa.
Recessão Termo utilizado para designar o crescimento negativo da economia de um país, ou de seu PIB.
Recibo de subscrição Documento que comprova o exercício do direito de subscrição, passível de ser negociado em bolsas de valores.
Recompra Termo utilizado para identificar o resgate de um ativo financeiro, antes de seu vencimento.
Recursos Administrados Valores sobre os quais as decisões de investimento são centralizadas na figura de um administrador ou instituição financeira. Os valores podem ser próprios ou de terceiros.
Recursos de Terceiros Expressão habitualmente empregada por profissionais de finanças e do mercado financeiro, para designar valores de propriedade de outras empresas ou pessoas. No popular, significa "dinheiro dos outros".
Redesconto A taxa de redesconto é cobrada pelo Banco Central em seus empréstimos para os bancos comerciais. Muitas vezes os bancos comerciais necessitam de recursos de curto prazo para cobrir obrigações que, por falta de liquidez no período, não teriam como cumprir. A taxa de redesconto é um instrumento de política monetária do Banco Central. O aumento da taxa tem um impacto contracionista na economia, e uma diminuição tem um impacto expansionista.
Reestruturação legal Série de procedimentos que se configuram numa reorganização ou liquidação de uma empresa.
Referenciado Câmbio Procuram acompanhar o mais próximo possível a variação das taxas oficiais de câmbio entre o Real e o dólar norte-americano, estando sujeitos também às oscilações das taxas de juros domésticas (Brasil) sobre o dólar. São boa opção para quem tem por objetivo manter o patrimônio em dólar ou para quem tem dívidas nessa moeda.
Referenciado DI Pelo menos 95% dos recursos dos fundos DI são aplicados em títulos públicos federais ou em títulos de renda fixa de emissores com baixo risco de crédito. Na prática, 95% da carteira acompanha a variação dos Certificados de Depósito Interbancário (CDI) e a taxa Selic, o que garante baixíssimo risco para o investidor. Os fundos DI são boa opção para os investidores de perfil conservador.
Registro em Bolsa Condição para que uma empresa tenha suas ações admitidas à cotação em uma bolsa de valores, desde que satisfaça as normas estabelecidas pela mesma.
Regra do período de payback Payback é o tempo necessário para que o investimento se pague. A regra do período de payback estipula que só serão aceitos aqueles investimentos com payback iguais ou inferiores a um determinado período. Os investimentos que superam este limite são descartados.
Regra do valor presente líquido Determina que o investimento só será realizado se seu valor presente líquido for positivo.
Regulamento É o instrumento jurídico que disciplina os direitos e obrigações das partes contratantes, bem como as características gerais do plano de previdência privada, sendo parte integrante da proposta de inscrição e mencionado no contrato.
Remessa de Lucros Uma empresa multinacional que se instala no Brasil, por exemplo, envia, todo final de período, uma remessa de lucro para a sua matriz no exterior.
Renda do Plano de Previdência É o benefício do plano representado por uma série de pagamentos mensais ao participante ou ao(s) beneficiário(s), calculado de acordo com a Nota Técnica Atuarial e com o tipo de renda mensal contratado.
Renda Fixa Tipo de aplicação na qual a rentabilidade pode ser determinada previamente ou que segue taxas conhecidas do mercado financeiro. São exemplos de renda fixa CDB ,Certificado de Depósito Bancário, e debêntures.
Renda Fixa Buscam retorno através de investimentos em ativos de renda fixa (também podem ser incluídos títulos sintetizados através de uso de derivativos). Ficam fora dessa categoria estratégias que impliquem em risco de índices de preço (IGPM, por exemplo), de moeda estrangeira ou de renda variável (ações). Estes fundos enquadram-se como “não referenciados”, conforme definido no artigo 4 da circular 2958.
Renda Fixa com Alavancagem Buscam retorno através de investimentos em ativos de renda fixa de qualquer espectro de risco de crédito, incluindo-se estratégias que impliquem em risco de índices de preço, excluindo-se porém investimentos que impliquem em risco de oscilações de moeda estrangeira e de renda variável (ações etc). Diferenciam-se dos fundos de renda fixa multi-índices apenas pela possibilidade de fazer alavancagem.
Renda Fixa Crédito Busca retorno no mercado de juros doméstico, investindo em títulos de renda fixa de qualquer espectro de risco de crédito, excluindo-se estratégias que impliquem em risco de índices de preço, de moeda estrangeira ou de renda variável (ações, opções etc), não sendo admitida alavancagem da carteira. Esses fundos não se enquadram nos artigos 2 e 4 da circular 2958.
Diferencia-se do Fundo de Renda Fixa apenas pela possibilidade de investimentos com risco de crédito acima do limite previsto na legislação dos "não referenciados".
Renda Fixa Multi-Índices Busca retorno através de investimentos em ativos de renda fixa de qualquer espectro de risco de crédito, incluindo-se estratégias que impliquem em risco de índices de preço. Incluem-se nesta categoria os fundos de renda fixa com risco de indexadores (fundos IGPM, etc) sem alavancagem, entre outros. São vedados investimentos que impliquem em risco de renda variável (ações) e de dólar.
Renda Variável Tipo de investimento no qual a rentabilidade não pode ser determinada na data da realização do investimento. Uma aplicação é considerada renda variável quando o retorno ou rendimento desta aplicação é pouco previsível pois está sujeita a grandes variações de acordo com o mercado. Ações de empresas são exemplos de renda variável.
Rendimento Nominal Ganhos auferidos em uma operação sem descontar as perdas decorrentes da inflação.
Rendimento Real Ganhos auferidos em uma operação já descontadas as perdas com a inflação.
Rendimentos brutos Ganhos auferidos em uma operação sem descontar o imposto de renda.
Rendimentos líquidos Ganhos auferidos em uma operação já descontado o imposto de renda.
Rentabilidade Medida de ganho financeiro nominal sobre o total do investimento, expressa em termos percentuais. Ex.: Um investimento inicial de R$ 100,00, que hoje vale R$ 105,00, gerou um ganho financeiro nominal de R$ 5,00 e uma rentabilidade de 5%.
Reserva Matemática de Benefícios a Conceder É o saldo individualizado, apurado durante o período de diferimento, decorrente da movimentação de recursos de cada participante e/ou das contribuições da Instituidora, sendo seu valor atualizado diariamente em função da valorização das cotas do FIFE.
Reserva Matemática de Benefícios Concedidos É o montante de recursos destinado a garantir o pagamento de benefício do plano de previdência, constituído pela movimentação e remuneração de recursos tranferidos individualizadamente da reserva matemática de benefícios a conceder, na data de concessão do benefício.
Reservas Cambiais São ativos seguros (baixa volatilidade), como o dólar americano ou o ouro, mantidos dentro do país.
Reservas Internacionais Ver reservas cambiais.
Resgate O ato de retirada, pelo investidor, do total ou parte dos recursos investidos em determinada aplicação. Ex.: Um investidor possuia uma aplicação de R$ 1.000,00 em um fundo de investimento e resgatou R$ 500,00.
Resgate Automático É um tipo de resgate previamente programado pela instituição financeira, não necessitando da ordem ou comando por parte do investidor, no momento do resgate.
Resgate do Plano de Previdência É o pagamento, total ou parcial, ao participante ou beneficiário(s), da reserva matemática de benefícios a conceder, durante o período de diferimento.
Resgate Mínimo É o valor mínimo que pode ser retirado (sacado) pelo investidor de uma determinada aplicação. Resgates inferiores a esta quantia não são permitidos pelo fundo de investimento. O valor do resgate mínimo varia de fundo para fundo.
Resistência Termo usado pelos Analistas Técnicos. Analisando um gráfico, percebemos que ele apresenta topos e fundos. A esses topos, é dado o nome de resistência. Uma ação atinge a sua resistência quando as vendas feitas pelos investidores são fortes suficientes para interromper o processo de alta durante algum tempo e, possivelmente até revertê-lo. É o ponto onde as vendas estão superando as compras.
Resolução Norma legal reguladora do mercado financeiro emitida por agências federais como por exemplo o Banco Central e CVM.
Resseguro É a operação de que se vale um ou mais seguradores para transferir à resseguradora o excesso de responsabilidade que ultrapassa o limite de sua capacidade de retenção de riscos. Diminui sua responsabilidade na aceitação de um risco considerado perigoso.
Retorno Contabilmente corresponde ao lucro sobre o montante de capital investido. Mostra o ganho do investidor na operação como porcentagem do dinheiro investido.
Retrocessão Operação de que se socorre o ressegurador para repassar ao mercado segurador nacional os excessos e responsabilidades que vão alem dos limites de sua capacidade de indenizar.
Reuters Agência internacional de notícias e informações.
Risco Grau de incerteza da rentabilidade (retorno) de um investimento. Ex.: afirmar que um investimento é de alto risco significa que temos pouca chance de prever com precisão a rentabilidade deste investimento. Em contrapartida, esse investimento oferece possibilidade de retorno superior a um investimento conservador. No jargão financeiro, a palavra "risco" está sempre associada à probabilidade de ganhos ou perdas acima ou abaixo da média de mercado. O investidor deve estar atento a essa diferença, porque na linguagem cotidiana a palavra "risco" muitas vezes é usada para indicar a possibilidade de perda/diminuição ou manutenção do estado atual, excluindo a possibilidade de ganho/ retorno/crescimento.
Risco Significa o evento incerto que independe da vontade das partes (Segurado e Segurador) e contra o qual é feito o seguro.
Risco de Crédito Termo que associa determinado título a probabilidade do mesmo não poder ser honrado, pelo emissor, no caso de um evento imprevisto. Ex.: no caso de falência de uma empresa as debêntures, de emissão da mesma, dificilmente serão honradas.
Risco de mercado Risco do mercado todo quebrar e se depreciar, é o chamado risco sistêmico, ou seja, de todo o sistema cair.
Royalty (Royalties) Valor pago ao detentor de uma marca, patente, processo de produção, produto ou obra original pelos direitos de sua exploração comercial.