DICIONÁRIO  DO  VIDRO
Aqui você encontra resposta para várias daquelas perguntas intrigantes quando o assunto é vidro.

ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas. É o órgão responsável pela normalização técnica no País. É quem recebe o projeto de norma aprovado pelas comissões de estudos para publicar as normas brasileiras. Em seu site é possível encontras os textos dos projetos de normas na íntegra.

Abravid - Associação Brasiliense de Vidraçarias

Acavime - Associação de Câmaras de Vidro do Mercosul

Adivipar - Associação dos Distribuidores Industriais e Revendedores de Vidros do Estado do Paraná

Amvid - Associação Mineira do Comércio Atacadista, Varejista e dos Beneficiadores de Vidro

Ascevi - Associação Catarinense das Empresas Vidreiras

CB-37 - Comitê Brasileiro de Vidros Planos. É secretariado pela Andiv. Ele é o responsável pela coordenação e elaboração das normas de vidros planos. Sempre que se identifica a necessidade de se criar uma norma, o comitê reúne pessoas interessadas no produto em pauta (fabricantes, empresários, arquitetos, engenheiros, consumidores, estudantes, etc.) para formar a comissão de estudos e elaborar a norma. Depois disso, o projeto de norma passa pelo processo de consulta nacional, para análise da sociedade, sugestões e objeções técnicas.

CSM-21 - Comitê Setorial Mercosul de Vidros Planos. É responsável por desenvolver as Normas Mercosul para o segmento vidreiro. Os países do Mercosul estão representados no comitê com organismos próprios. A Argentina está representada pelo Instituto Argentino de Normalización y Certificación (Iram), o Paraguay, pelo Instituto Nacional de Tecnología y Normalización (INTN), o Uruguai, pelo Instituto Uruguayo de Normas Técnicas (Unit) e o Brasil, pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Esses organismos têm como principal tarefa estruturar padrões comuns de produção e consumo, além de facilitar o intercâmbio comercial entre os países do mundo.

Curso do vidraceiro - Projeto da Andiv em parceria com o Senai. Visa a oferecer formação global para vidraceiro. O aluno é treinado e capacitado para cortar, lapidar, laminar e realizar qualquer tipo de instalação, de pequeno e médio porte, de vidros planos comuns, temperados e aramados, além de noções de Oficina do Vidro, Teoria do Vidro, Desenho Técnico, Segurança do Trabalho e Técnicas de Gestão Pessoal

Float - É o vidro comum, liso, transparente e a matéria-prima que dá origem aos temperados, laminados, insulados, serigrafados e espelhos. Sua composição inclui sílica, sódio, cálcio, magnésio, potássio e alumina. É aplicado na arquitetura, indústria moveleira, automotiva e de linha branca (eletrodomésticos). Atualmente, no Brasil, é produzido com espessuras que variam de 3 a 19 mm.

Forno de curvatura - Equipamento capaz de produzir o vidro curvo. Uma chapa de float é introduzida no forno, sobre um molde. Esse vidro é aquecido para tomar a forma do molde e, em seguida, é resfriado.

Forno de têmpera - É nessa máquina que o vidro temperado é produzido. Nos equipamentos mais simples, o vidro é trabalhado verticalmente e sai do forno com marcas de pinça, devido à área de sustentação. Os fornos horizontais são mais sofisticados e têm maior capacidade de produção. Os temperados obtidos por esse sistema oferecem mais variações de tamanho e espessuras (chapas maiores e mais finas, inclusive), sem marcas de pinça.

Glass South America - Maior feira do segmento vidreiro na América Latina, destinada aos profissionais que buscam tecnologia avançada e tendências mundiais. Máquinas e equipamentos para fabricação, transformação e beneficiamento do vidro plano, vidros para construção civil, arquitetura, decoração, indústria moveleira e automotivos são alguns dos produtos presentes no evento, organizado pela VNU Business Media.

Glazing - É o tipo de fachada em que se utilizam vidros colados com silicone estrutural em caixilhos especiais. Então, pelo lado de fora do ambiente, o que se vê são apenas os vidros sem a interferência de caixilhos ou molduras.

Instituto Falcão Bauer da Qualidade - Entidade credenciada pelo Inmetro para certificar o vidro temperado e o laminado da área automotiva, após análise do relatório final fornecido pelo laboratório. Ele também emite a licença para que a empresa utilize a marca de conformidade do produto.

L. A. Falcão Bauer - Centro Tecnológico de Controle da Qualidade - Credenciado pelo Inmetro, é o único laboratório no Brasil autorizado para realizar testes rigorosos nos vidros de acordo com as normas brasileiras, regidas pela ABNT, para certificar a qualidade do produto.

Lapidação - É o tratamento que o vidro recebe nas bordas para que não cause ferimentos e ganhe uma certa dose de resistência. Dá um aspecto diferenciado ao produto final. Existem diversos tipos de acabamento. Depois desse tratamento de recortes especiais, eles podem ser utilizados em tampos de mesa e de pia, móveis, prateleiras, esculturas, etc.

NBR - Sigla para designar as normas brasileiras. Sempre vem seguida de alguns números que identificam cada produto. Assim, a NBR 14698, por exemplo, trata sobre o vidro temperado, enquanto a NBR 9491 fala sobre o vidro automotivo.

O vidroplano - Única publicação mensal, de abrangência nacional e países do Mercosul, dirigida ao mercado vidreiro. A maior, mais antiga e tradicional revista do setor é voltada para os empresários do ramo, vidraceiros, arquitetos, engenheiros, construtores, decoradores, estudantes e profissionais ligados à construção civil.

PVB (polivinil butiral) - Trata-se do polivinil butiral. Uma das matérias-primas utilizadas na fabricação de vidro laminado, é uma película plástica e elástica aplicada entre as chapas de vidro. Disponível em diversas cores no mercado. Pode ser utilizado na laminação de float e do impresso. É nessa película que os fragmentos de vidro ficam presos em caso de quebra.

Resina - Material usado para laminar o vidro. A resina também oferece uma grande variedade de cores. Assim como o PVB, pode ser aplicada em impresso e float.

Simpovidro - Realizado pela Andiv, o evento bienal é um dos mais importantes do ramo vidreiro na América Latina. O simpósio tem por objetivo oferecer aos empresários do setor alguns dias em dezembro para atualização profissional, oportunidades de negócios e de integração entre os participantes. Palestras e exposições de produtos também fazem parte do Simpovidro. A cada nova edição, o evento é realizado em uma região brasileira para prestigiar seus empresários.

Sinbevidros - Sindicato das Indústrias de Beneficiamento e Transformação de Vidros e Cristais do Estado de São Paulo

Sincavidroj - Sindicato do Comércio Atacadista de Vidros Planos, Cristais e Espelhos do Rio de Janeiro

Sincomavi - Sindicato do Comércio Varejista de Material de Construção, Maquinismo, Ferragens, Tintas, Louças e Vidros da Grande São Paulo.
Sindicato do Comércio Atacadista de Vidros Planos, Cristais e Espelhos de São Paulo

Sindividro - Sindicato das Indústrias de Vidros, Cristais, Espelhos, Cerâmica de Louça e Porcelana no Estado do Rio Grande do Sul

Vidro acidado - Podendo ser fabricado de forma artesanal ou industrial, ele é submetido a uma solução ácida que age no vidro de modo controlado, criando texturas, desenhos, letras, dando um aspecto de translucidez. No processo artesanal, as estampas são criadas sob encomenda. Já no industrial, o vidro é colocado em máquinas que permitem que ele possa apresentar aparência totalmente translúcida, colorida totalmente translúcida, translúcido decorado com listras brilhantes e desenhos florais, geométricos e artísticos padronizados.

Vidro anti-reflexo - É ideal para ser aplicado onde se deseja eliminar reflexos luminosos. Salvo raras exceções, o anti-reflexo é um vidro impresso, pois tem microtexturas e possui capacidade muito grande de difundir a luz. Pode ser aplicado em quadros de parede e painéis. Caso seja laminado com outro vidro anti-reflexo, o vidro acaba por adquirir certa opacidade ficando bem parecido com o acidado.

Vidro aramado - É um vidro impresso um pouco diferente dos outros, pois possui uma rede metálica de malha quadriculada incorporada à massa do vidro. É essa rede que retém os cacos no caso de quebra. Considerado um vidro de segurança, o aramado é versátil e pode estar em coberturas, divisórias, guarda-corpo, móveis, tampos, etc.

Vidro autolimpante - É feito direto na linha de produção do float e possui uma camada metalizada que tem como principal componente o óxido de titânio. O ideal é que seja aplicado em fachadas, pois os raios ultravioleta ativam as propriedades autolimpantes do vidro, não deixando a sujeira fixada na superfície da chapa. Como é um produto hidrofílico, a água em contato com o vidro se dispersa e escorre de maneira uniforme, levando a sujeira acumulada embora num efeito contínuo.

Vidro baixo-emissivo - Também conhecido como vidro low-e, é indicado, principalmente, para ambientes em que a baixa troca térmica se faz necessária. Esse tipo de vidro permite diminuir as perdas térmicas, pois possui uma metalização baixa-emissiva.

Vidro bisotado - Esse vidro, também chamado de biselado, recebe tratamento especial em suas bordas para evitar acidentes e trincas. O acabamento chanfrado é conseguido por meio da lapidação e polimento. É aplicado principalmente na indústria moveleira.

Vidro blindado - Resistente a balas, é o vidro desenvolvido para proteção contra disparos de armas de fogo ou objetos lançados contra ele. São as camadas plásticas existentes entre as várias lâminas de vidro que amortecem o impacto e oferecem a resistência para aumentar a segurança. Para se obter uma resistência maior, sem que seja necessária a utilização de vidros muito espessos, é comum o uso de uma ou mais camadas de policarbonato.

Vidro curvo - Para fabricar esse vidro, é preciso colocá-lo sobre um molde instalado dentro do forno de curvatura. Ele é aquecido em altíssima temperatura para que tome a forma do molde e em seguida é resfriado. É aplicado nas indústrias automotiva, de linha branca, moveleira e construção civil.

Vidro duplo - Também conhecido como insulado, o vidro duplo é um conjunto de duas ou mais chapas de vidro intercaladas por uma câmara de ar desidratado ou gás argônio. O duplo envidraçamento pode ser composto por qualquer tipo de vidro, o que aliás, acaba melhorando seu desempenho termoacústico. Oferece conforto acústico quando ao menos uma das chapas de vidro é laminada ou há variação de espessuras. O conforto térmico provém da redução de troca de calor dos vidros com o interior do ambiente. Atualmente, existem, inclusive, persianas que são aplicadas entre as chapas e podem ser acionadas de três modos diferentes: motor, cordão e haste. É ideal para fachadas, divisórias, coberturas, etc.

Vidro extra clear - É o vidro mais claro e transparente que existe, pois sua massa não tem cor e, por isso, é ideal para vidros pintados e linha de serigrafia. Essa característica reforça e assegura a fidelidade do tom da tinta aplicada sem comprometer o resultado final. Pode ser laminado, temperado e aplicado em locais que necessitem de transparência e qualidade óptica.

Vidro fantasia - Ver vidro impresso

Vidro impresso - Não provem do float e, por isso, tem fabricação em forno próprio e técnica diferenciada. Trata-se de um vidro translúcido e texturizado, ou seja, apresenta em sua superfície desenhos (padrões) impressos no vidro ainda quente. Também conhecido como vidro fantasia, pode receber beneficiamentos como laminação, têmpera, espelhamento, jateamento e bisotê. É aplicado em tampos de mesa, divisórias, portas, pisos, revestimentos de paredes, tetos, etc.

Vidro insulado - Ver vidro duplo

Vidro jateado - Produzido em cabina fechada, o jateado aboliu a areia e passou a ser feito com pós-abrasivos, que funcionam muito bem e são menos tóxicos. É possível reproduzir desenhos, fotos e figuras estampadas na superfície do vidro. Além disso, ele permite certa privacidade ao ambiente, pois o vidro pode ser totalmente opacado.

Vidro monolítico - É o vidro simples, composto por uma única lâmina.

Vidro laminado - É uma espécie de sanduíche de vidros, ou seja, duas ou mais placas de vidro são unidas por uma camada intermediária de polivinil butiral (PVB) ou resina. Em caso de quebra, é nessa camada intermediária que os cacos ficam presos, dando ao produto a característica de segurança.

Vidro para piscina e aquário - É preciso analisar a pressão hidrostática de cada projeto para avaliar a composição ideal dos vidros destinados à piscina ou aquário. Geralmente, são especificados um conjunto composto de pelo menos três chapas de laminados. Também é possível combinar esse conjunto com algumas lâminas de temperado, mas nunca ele sozinho.

Vidro pirolítico - Ver vidro refletivo.

Vidro refletivo - São chamados, popularmente, de espelhados. Há dois métodos de fabricação: on line (pirolítico) ou off line (vácuo). Pelo sistema on line, a camada metalizada é pulverizada com óxidos metálicos durante a fabricação do float, garantindo durabilidade e homogeneidade ao produto. No processo off line, a chapa de vidro passa por uma câmara mantida à vácuo, onde recebe a deposição de átomos de metal sobre uma de suas faces. É um vidro com desempenho energético, ou seja, é capaz de melhorar o dimensionamento do ar-condicionado e interferir no grau de transmissão luminosa e de calor para dentro do ambiente.

Vidro serigrafado - Existem dois processos para se produzir esse tipo de vidro. No processo quente, o mais utilizado, um esmalte cerâmico (tinta vitrificada) é aplicado na lâmina e em seguida o vidro passa pela têmpera para que os pigmentos sejam incorporados a ele, tornando-o um vidro temperado. Pode ser aplicado em vitrinas, boxes, fachadas, divisórias, portas, etc. No processo frio, uma tinta cuja cura é feita por luz ultravioleta é aplicada no vidro para que adquira cor e textura. É um processo mais rápido e fácil, porém, a textura não fica totalmente incorporada à lâmina, podendo ser retirada com objetos pontiagudos ou estiletes.

Vidro temperado - Obtido por meio de aquecimento gradativo e resfriamento abrupto num forno de têmpera (vertical ou horizontal), o temperado, antes de tudo, é um vidro de segurança. Em caso de quebra, fragmenta-se em pedaços pouco cortantes e bem pequenos. Depois de temperado, o vidro não pode ser beneficiado, cortado, furado, etc. É muito utilizado na construção civil, indústria automotiva e recentemente, na decoração. É também o único vidro que pode ser aplicado como porta sem a utilização de caixilhos.